O Buraco da Minhoca é um pouco mais embaixo

17/02/2016

BURACO DA MINHOCA É UM POUCO MAIS EMBAIXO

Recentemente especialistas da NASA anunciaram ao mundo uma descoberta que poderá repercutir muito em nossas vidas futuras. Conseguiram escutar e captar as ondas gravitacionais provocadas pela colisão de dois gigantescos buracos negros, ocorrida a 1,3 bilhão de anos atrás, liberando uma energia tão grande, que vagueia pelo espaço até hoje, em forma de ondas.

O que consegui entender e captar desta descoberta, na qual um físico brasileiro pertencente a esta equipe de pesquisadores prestou esclarecimentos a diversas rádios e canais televisivos, foi que além de confirmarem as teorias de Einstein sobre a existência de ondas gravitacionais, isto poderá repercutir em nossas vidas no futuro, diminuindo distâncias entre 2 pontos. Ele exemplificou, mostrando uma maçã onde os elementos A e B, saindo do mesmo ponto, mas em direções opostas, encontram no meio da maçã um atalho que encurta as distâncias desse encontro. Ele denominou este ponto de encontro dentre A e B como buraco da minhoca.

Num primeiro momento fiquei entusiasmado com a esperança de que este encurtamento de distâncias poderia significar algo muito valioso para mim com o retorno de alguns projetos que considerava muito distantes, e fora do alcance do meu ciclo de vida. Imaginei as repercussões para o Brasil e países em desenvolvimento que poderiam recuperar as carências sociais de educação, saúde, saneamento, num encurtamento de distâncias. Imaginei o que isto poderia significar de entusiasmo para as pessoas que poderiam ver seus sonhos ainda realizados, e com entendimentos mais rápidos entre todos.

Fui tomar um banho de tão excitado que fiquei com esta descoberta e futuros desdobramentos para o ser humano, pois raciocinava: se foi possível escutar os sons quase inaudíveis da colisão ocorrida a 1,3 bilhões de anos atrás, abrem-se novas perspectivas e esperanças para que este mesmo ser humano de hoje, consiga trilhar agora, pelo mesmo buraco da minhoca descoberto e captar sons de encontros, e de suas divergências muito mais rapidamente.

Depois de alguns minutos na ducha fria, meu entusiasmo foi diminuindo e broxando ao pensar nas ondas gravitacionais brasileiras, onde na verdade não existem apenas 2 buracos negros, mas inúmeros. Isto num primeiro momento da reflexão não me preocupou muito, porque as energias e ondas que seriam emitidas, fariam com que nossos representantes e cidadãos se encontrassem num buraco da minhoca, e conseguissem chegar a um acordo com satisfação dos dois lados.

Mas o que me desanimou de vez, e me deixou sobressaltado foi a possibilidade de errarmos o buraco da minhoca. E se a minhoca tiver mais de um buraco? E se não tiver uma setinha indicando que aquele buraco é o buraco certo da minhoca? Será que haverá discordâncias na entrada do buraco?

Saí rápido do chuveiro, com a sensação de que se não houver um consenso político sobre a qualidade de cada buraco e vantagens oferecidas por cada um, acho que o assunto tem tudo para feder.

O buraco da minhoca brasileira é um pouco mais embaixo.

A.Laufer

O Buraco da Minhoca é um pouco mais embaixo