Um Clips: o diferenciador da Comunicação e Inovação

15/01/2016

UM CLIPS NO DIFERENCIAL DAS COMUNICAÇÕES E INOVAÇÕES

Conta-se que Richard Towsend (fictício), recém-nomeado presidente da empresa multinacional ZTP Co. (fictícia), cujo faturamento ultrapassa bilhões de dólares anuais, anunciou em seu discurso de posse, transmitido via intranet para dezenas de milhares de funcionários, que o principal projeto da empresa no seu primeiro ano de gestão, seria a eliminação da compra de clips, que representava uma despesa de U$ 20 mil dólares anuais. Prometeu que se realizada a façanha, o valor total da economia seria doado às organizações sociais que cuidam da educação básica da cidade local.

U$ 20 mil dólares, como meta anual para uma empresa que fatura bilhões de dólares?

Assustados com a solicitação pretendida, ou por possíveis entendimentos errôneos, os acionistas, diretores e principais executivos financeiros argumentaram que o custo dos clips, era irrisório e não representava praticamente nada nos principais gastos da empresa, e necessitavam de metas mais ousadas.

Richard Towsend explicou que um dos pontos mais frágeis da empresa, era a forma estratégica da comunicação e falta de diálogos entre os diversos níveis hierárquicos. Segundo ele, os executivos, gerentes, diretores deixavam de responder a muitas dúvidas e consultas de seus subordinados. Insistiu em manter sua meta, e nos dias seguintes passou a visitar os diversos departamentos, conhecer e conversar pessoalmente com suas equipes, e não raramente debruçava-se no chão para colher um clips e devolver ao funcionário mais próximo.

A história se espalhou pela empresa e transformou-se numa rede de valores da empresa: os funcionários que abasteciam as máquinas de matérias primas sentiram-se incluídos no projeto, e não deixavam nenhum grão ser desperdiçados; os responsáveis pela manutenção das máquinas sentiram-se incluídos no projeto, e não deixavam nenhuma máquina ficar parada; os operadores da produção sentiram-se incluídos no projeto, e evitavam a devolução de seus produtos dialogando com seus clientes; os controladores financeiros sentiram-se incluídos no projeto, e não deixavam nenhum tostão ser abandonados à própria sorte; os responsáveis pela limpeza, sentiram-se incluídos no projeto e não deixavam de recolher nenhum clips. Assim,ocorreu em toda cadeia produtiva da empresa.

Conclusão: Richard Towsend necessitava de um clips para que sua comunicação tocasse nos corações de todos, e tornassem seus objetivos entendidos e claros pela coletividade. Com isto conseguiu que os funcionários abraçassem o clips e se sentissem integrantes e colaborativos na gestão da empresa e da melhoria de qualidade e convivência com suas famílias.

Moral da história: o diferencial da comunicação e inovação vem da forma como vemos um clips no chão.

Forma 1: Não querer enxergá-lo por achar seu valor irrisório, ou;

Forma 2: Nos debruçar, acatá-lo e torná-lo útil, de modo que todos possam colaborar e se sentirem integrados em suas jornadas.

A.Laufer

Um Clips: o diferenciador da Comunicação e Inovação